header2

PROCESSOS DE DESSULFURAÇÃO, DESFOSFORAÇÃO E REFINO SECUNDÁRIO

A busca por eficiência no processo de dessulfuração (redução dos teores de enxofre) do ferro gusa resultou em novos procedimentos e inovações em equipamentos, que aumentaram significativamente a qualidade final do aço e reduziram o consumo de energia, além de transformar os resíduos tóxicos em material inerte. Os processos atuais de dessulfuração utilizam agentes dessulfurantes de alta reatividade, que são compostos basicamente de óxido de cálcio, carbureto de cálcio, magnésio metálico e outros elementos que reagem com o enxofre contido no seio metálico, transformando-o em sulfeto e convertendo-o em escória.

Considerando que o ambiente redutor é fator essencial para a reação de dessulfuração, os processos requerem, além dos compostos balanceados, uma adição controlada, contínua e homogênea dos agentes no seio metálico. Para tanto, utiliza-se o gás inerte (Nitrogênio) para o transporte e difusão do agente dessulfurante. As operações de dessulfuração TECNOSULFUR incluem desde um processo de simples adição do agente na panela de gusa, até o processo mais sofisticado de injeção profunda, por imersão de lança refratária rotativa em carros torpedo ou panelas.

Os processos de desfosforação do gusa (redução dos teores de fósforo) consistem na oxidação do fósforo e na combinação deste com cálcio e outros componentes, os quais são injetados em profundidade no metal líquido, formando compostos que são transferidos para a escória e, desta forma, removidos do metal.

No refino secundário do aço são realizados os tratamentos complementares de dessulfuração, ajustes finais de composição química e controle de inclusões. Normalmente, são utilizados equipamentos que possibilitam o aquecimento elétrico (forno panela) ou químico (CAS-OB, AHF ou IRUT) ou simplesmente o borbulhamento de gás inerte. A correção da composição química é realizada através de adição de ligas através de silos ou arames. Equipamentos auxiliares de injeção podem ser utilizados para utilização de agentes dessulfurantes micropulverizados.

Sendo o gusa líquido a principal matéria-prima para a produção do aço, para o qual se exige, cada vez mais, resistência e aplicabilidade, aumentam as demandas por processos de dessulfuração e desfosforação, pois altos teores de fósforo, enxofre e outras inclusões não metálicas, no aço, provocam maior fragilidade a quente e menor resistência ao impacto, entre outros prejuízos.

Atuação dos produtos Tecnosulfur

Os produtos da TECNOSULFUR são utilizados ao longo do processo de transformação do gusa em aço líquido. O processo tem início com a redução do teor de enxofre contido no gusa, na Estação de Dessulfuração. Em seguida, na Estação Desfosforante, aplica-se ao gusa o agente desfosforante, como primeiro refino, visando à redução do teor de fósforo. Da Estação Desfosforante, o gusa segue para os conversores ou fornos elétricos da aciaria, onde é transformado em aço. Dos conversores ou fornos elétricos, o aço passa para o forno panela, estação de borbulhamento ou de aquecimento químico, onde é aplicada a escória sintética como segundo refino e ou injetado o agente dessulfurante micropulverizado. A etapa seguinte é a desgaseificação a vácuo, onde o aço é refinado pela terceira vez, utilizando-se outras especificações de escória sintética. Após este tratamento, o aço segue para a cadeia de laminação/trefilação.